Relatório da CIA vazado pelo WikiLeaks diz que EUA “exportam” terrorismo


Um relatório sigiloso sobre terrorismo vazado pela WikiLeaks e criado pela unidade especial “Red Cell”, da CIA (agência de inteligência dos EUA), cita diversos casos em que cidadãos americanos financiaram atividades terroristas.

O documento também analisa os efeitos para Washington caso os Estados Unidos passassem a ser vistos como um “exportador de terrorismo”.

Datado de 5 de fevereiro de 2010, o relatório aponta que a própria CIA já admite que cidadãos americanos financiam, planejam ou participam ativamente de atentados terroristas e manifesta preocupação caso a comunidade internacional enxergue o país –que na última década lançou uma campanha global contra o terror– como patrocinador de atividades terroristas.

“Ao contrário do senso comum, a exportação americana de terrorismo ou terroristas não é um fenômeno recente, e nem tem sido associado unicamente com radicais islâmicos ou pessoas de origens étnicas do Oriente Médio, África ou Sul da Ásia. Esta dinâmica desmente a crença americana de que nossa sociedade multicultural livre, aberta e e integrada diminui o fascínio dos cidadãos americanos pelo radicalismo e pelo terrorismo”, diz o primeiro parágrafo do relatório da CIA.

A equipe do site WikiLeaks, que já anunciara na terça-feira à noite o vazamento de um relatório secreto da CIA para esta quarta-feira, diz que a agência de inteligência americana cita diversos casos em que ataques perpetrados por terroristas judeus, muçulmanos e ligados ao nacionalismo irlandês que eram baseados em território americano ou financiados por cidadãos dos EUA.

IMPACTOS

O texto da própria CIA nas primeiras páginas do relatório aponta graves consequências para Washington caso os EUA passem a ser vistos como um exportador de terrorismo. Entre elas:

  • Parceiros internacionais poderiam ter menos disposição em cooperar com os Estados Unidos em atividades envolvendo extradições jurídicas, incluindo a detenção, transferência e interrogatórios de suspeitos em outros países.
  • Alterando o status de “vítima de terrorismo” –o que concede aos EUA grande espaço de manobra para pressionar outras nações a extraditar cidadãos suspeitos– para “exportador de terrorismo”, outros países poderiam exigir uma política recíproca de Washington.
  • Outros países poderiam exigir que os EUA concedessem informações sobre supostos terroristas ou até extraditassem cidadãos ligados a atividades terroristas. Caso o governo americano se negasse a cooperar, tais nações poderiam se recusar a entregar suspeitos procurados por Washington, afetando alianças e relações bilaterais.
Fonte:folha http://www1.folha.uol.com.br/mundo/788697-relatorio-da-cia-vazado-pelo-wikileaks-diz-que-eua-exportam-terrorismo.shtml
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Relatório da CIA vazado pelo WikiLeaks diz que EUA “exportam” terrorismo

  1. Felipe AZ disse:

    Teriam eles feito lavagem cerebral no Hitler na 1ª Guerra Mundial, para que Hitler criasse um modelo de governo e uma 2ª Guerra, e criaram assim um tirano, para ter pretexto para saquear o redulto da genialidade moderna, que até então era o império Germânico, e também criaram propensão e aliciamento para que Judeus geniais como Einstein fossem fisgados para a América?!?!?!? Cia você está ai?! Pode me ouvir??!!! ..heheheh

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s