Qual a diferença entre meteoro e meteorito?


Normalmente as pessoas confundem meteoro com meteorito, asteróide, cometa e estrela cadente, neste tópico abordarei o básico sobre este assunto que fascina e aterroriza algumas pessoas já que o começo e o fim do mundo pode ter alguma coisa haver com algum destes assuntos abordado neste tópico.

O que é meteoro?

Meteoro designa o fenômeno luminoso observado quando da passagem de um meteoróide pela atmosfera terrestre. Este fenômeno que pode apresentar várias cores, que são dependentes da velocidade e da composição do meteoróide, um rastro, que pode ser designado por persistente, se tiver duração apreciável no tempo, e pode apresentar também registro de sons. Um meteoro é também por vezes designado de estrela cadente.
A aparição dos meteoros pode-se dar sob duas formas: uma delas são as designadas “chuvas de meteoros” ou “chuva de estrelas cadentes” ou simplesmente “chuva de estrelas”, em que os meteoros parecem provir do mesmo ponto do céu noturno, denominado de radiante. Outra forma é a de “meteoros esporádicos”
Existem dois tipos de meteoros que se destacam pela sua espectacularidade: as Bolas de Fogo e os Bólides

O que é asteróide?

Um asteróide é um corpo menor do sistema solar, geralmente da ordem de algumas centenas de quilômetros apenas. É também chamado de planetoide. O termo “asteroide” deriva do grego “astér”, estrela, e “oide”, sufixo que denota semelhança.

Já foram catalogados mais de três mil asteroides, sendo que diversos deles ainda não possuem dados orbitais calculados; provavelmente existem ainda milhares de outros asteroides a serem descobertos. Estima-se que mais de quatrocentos mil possuam diâmetro superior a um quilômetro.

Ceres era considerado o maior asteroide conhecido, possuindo diâmetro de aproximadamente mil quilômetros, mas desde 24 de Agosto de 2006 passou a ser considerado um planeta anão. Possui brilho variável, o que é explicado pela sua forma irregular, que reflete como um espelho a luz do Sol em diversas direções.

Os asteroides estão concentrados em uma órbita cuja distância média do Sol é de cerca de 2,17 a 3,3 unidades astronômicas, entre as órbitas de Marte e Júpiter. Esta região é conhecida como Cinturão de Asteroides. No entanto, dentro deste cinturão há diversas faixas que estão praticamente vazias (são as chamadas Lacunas de Kirkwood), que correspondem a zonas de ressonância onde a atração gravitacional de Júpiter impede a permanência de qualquer corpo celeste.

Alguns asteroides, no entanto, descrevem órbitas muito excêntricas, aproximando-se periodicamente dos planetas Terra, Vênus e, provavelmente, Mercúrio. Os que podem chegar perto da Terra são chamados EGA (earth-grazers ou earth-grazing asteroids). Um deles é o famoso Eros.

Os asteroides troianos constituem outros espécimes particulares de planetoides que orbitam fora do cinturão.

Há muitas técnicas utilizadas para se estudar as características físicas dos asteroides: fotometria, espectrofotometria, polarimetria, radiometria no infravermelho etc. A superfície da maior parte deles é comparável à dos meteoritos carbônicos ou a dos meteoritos pétreos.

De acordo com as teorias mais modernas, os asteroides seriam resultado das condensações da nebulosa solar original, mas que não conseguiram aglomerar toda a matéria em volta na forma de um planeta devido às perturbações gravitacionais provocadas pelo gigantesco planeta Júpiter. Outra teoria afirma que aí existia um planeta, mas que foi destroçado pela sua proximidade com Júpiter.

O que é meteoróide?

Meteoróides são fragmentos de materiais que vagueiam pelo espaço e que, segundo a International Meteor Organization (Organização Internacional de Meteoros), possuem dimensões significativamente menores que um asteróide e significativamente maiores que um átomo ou molécula, distinguindo-nos dos asteróides – objetos maiores, ou da poeira interestelar – objetos micrométricos ou menores.
Os meteoróides derivam de corpos celestes como cometas e asteróides e podem ter origem em ejeções a de cometas que se encontram em aproximação ao sol, na colisão entre dois asteróides, ou mesmo ser um fragmento de sobra da criação do sistema solar. Ao entrar em contacto com a atmosfera de um planeta, um meteoróide dá origem a um meteoro.
Meteoróides que atingem a superfície da Terra são denominados meteoritos.

O que é estrela cadente?

Estrela cadente é o nome dado a um fenômeno astronômico que acontece frequentemente.
Apesar do nome, não são estrelas, são meteoróides que entram na atmosfera terrestre e sofrem intenso atrito. O aquecimento gerado pelo atrito faz com que os meteoros cheguem a pegar fogo. Com isso ocorre a emissão de luz própria, permitindo que eles possam ser vistos.
O meteoróide tem a tendência de girar em torno do Sol em enxames e a Terra passa através de vários enxames todos os anos. No momento em que a Terra atravessa uma dessas correntes de meteoros, ocorrem as denominadas chuvas de estrelas cadentes. Toda chuva de meteoros parece ter sua origem num ponto particular do céu denominado radiante. Alguns enxames de meteoros estão associados a determinados cometas.

Por que são chamadas de “estrelas cadentes”?

Pelo fato dos meteoróides emitirem luz quando estão atravessando a atmosfera terrestre, assim como as estrelas, já que parecem provir da mesma região do céu dão à impressão de uma chuva de estrelas.

O que é chuva de meteoros?

Chuva de meteoros é um evento em que um grupo de meteoros são observados irradiando de um único ponto no céu (radiante). Esses meteoros são causados pela entrada na atmosfera de detritos a velocidades muito altas. Numa chuva de meteoros, esses detritos geralmente são resultado de interações de um cometa com a Terra, em que material do cometa é desprendido de sua órbita, ou quando a Terra cruza essa órbita.
A órbita da Terra cruza com a órbita de alguns cometas periodicamente, produzindo chuvas de meteoros anuais, como a de Leônidas ou Perseidas. A maior chuva de meteoros ocorrida na história se deu no dia 13 de novembro de 1833. Esta chuva de meteoros pôde ser vista do Canadá até o México.

Principais chuvas de meteoritos

Algumas das chuvas de meteoritos anuais mais notáveis:
• Perseidas (agosto)
• Leônidas (novembro)
• Oriónidas (outubro)
• Gemínidas (dezembro)

O que é meteorito?

Um meteorito é a denominação dada quando um meteoróide, formado por fragmentos de asteróides ou cometas ou ainda restos de planetas desintegrados, que podem variar de tamanho desde simples poeira a corpos celestes com quilômetros de diâmetro, alcançam a superfície da Terra, pode ser um aerólito(rochoso), siderito (metálico) ou siderólito (metálico-rochoso).

Composição de um meteorito.

Ao contrário dos meteoros (popularmente chamados de estrelas cadentes), os meteoritos que atingem a superfície da Terra não são consumidos completamente pelo fogo decorrente do atrito da atmosfera. Os mais comuns não contêm misturas de elementos, sendo compostos por côndrulos, podendo também conter partículas de ferro. Os condritos carbonácios podem conter moléculas complexas de hidrocarbonetos. Os meteoróides são corpos no espaço que ainda não atingiram a atmosfera terrestre.
Os meteoritos metálicos são constituídos por ferro (aproximadamente 85%) e níquel (aproximadamente 14%), podendo conter outros elementos em menor proporção. São também designados de sideritos.
Além desses, ainda existem os meteoritos ferro-rochosos, que são uma mistura da liga de ferro-níquel (50%) e outros minerais (50%).

O que é um cometa?

Um cometa é um corpo menor do sistema solar que orbita o Sol. Quando se aproxima do Sol, um cometa passa a exibir uma atmosfera difusa, denominada coma e uma cauda, ambas causadas pelos efeitos da radiação solar sobre o núcleo cometário. Os núcleos cometários são compostos de gelo, poeira e pequenos fragmentos rochosos, variando em tamanho de alguns quilômetros até algumas dezenas de quilômetros.

Discussão sobre a composição dos cometas

Prossegue o debate sobre quanto gelo há em um cometa. Em 2001, a equipe da Nasa do Deep Space 1, trabalhando com o Jet Propulsion Lab da Nasa, obteve imagens de alta resolução da superfície do Cometa Borrelly. Eles anunciaram que o cometa Borrely exibia jatos distintos, mas ainda assim possuia uma superfície quente e seca. A presunção de que o cometa contém água e gelo levou o Dr. Laurence Soberblom do U. S. Geological Survey a dizer “O espectro sugere que a superfície é quente e seca. É surpreendente que não vimos traços de gelo”. Entretanto, ele sugeriu que o gelo está provavelmente escondido abaixo da crosta já que “ou a superfície foi seca pelo aquecimento solar e maturação ou talvez o material extremamente escuro que cobre a superfície do Borrelly mascara qualquer traço de gelo superficial”.

A recente missão Deep Impact também apresentou resultados sugerindo que a maioria da água do cometa estava abaixo da supefície, e que estes reservatórios alimentam os jatos de água vaporizada que formam a cauda do Tempel 1.

Entretanto, dados mais recentes da missão Stardust mostraram que o material recuperado da cauda do cometa Wild 2 era cristalino e só poderia ter “nascido no fogo”. Mais recentemente ainda, os materiais recuperados demonstram que “a poeira cometária é semelhante ao material dos asteróides”. Estes novos resultados forçaram os cientistas a repensar a natureza dos cometas e sua distinção dos asteróides.

Bom agora que você já sabe um pouco sobre o assunto quando for comentar o que pode ter causado o fim dos dinossauros você dirá que foi o que caiu na superfície da terra de acordo com os cientistas?
Resposta: Impacto de asteróide com a Terra ou Chuva de cometas (não de asteróide)

Fontes:wikipedia
Fonte:sobre a extinção do dinossauro wikipedia http://pt.wikipedia.org/wiki/Extin%C3%A7%C3%A3o_Cret%C3%A1ceo-Paleogeno
para saber mais sobre cometas http://pt.wikipedia.org/wiki/Cometa

Normalmente as pessoas confundem meteoro com meteorito, cometa e estrela cadente, neste tópico abordarão o básico sobre este assunto que fascina e aterroriza algumas pessoas já que o começo e o fim do mundo podem ter alguma coisa haver com algum destes assuntos abordado neste tópico.

O que é meteoro?

Meteoro designa o fenômeno luminoso observado quando da passagem de um meteoróide pela atmosfera terrestre. Este fenômeno que pode apresentar várias cores, que são dependentes da velocidade e da composição do meteoróide, um rastro, que pode ser designado por persistente, se tiver duração apreciável no tempo, e pode apresentar também registro de sons. Um meteoro é também por vezes designado de estrela cadente.

A aparição dos meteoros pode-se dar sob duas formas: uma delas são as designadas “chuvas de meteoros” ou “chuva de estrelas cadentes” ou simplesmente “chuva de estrelas”, em que os meteoros parecem provir do mesmo ponto do céu noturno, denominado de radiante. Outra forma é a de “meteoros esporádicos”

Existem dois tipos de meteoros que se destacam pela sua espectacularidade: as Bolas de Fogo e os Bólides

O que é meteoróide?

Meteoróides são fragmentos de materiais que vagueiam pelo espaço e que, segundo a International Meteor Organization (Organização Internacional de Meteoros), possuem dimensões significativamente menores que um asteróide e significativamente maiores que um átomo ou molécula, distinguindo-nos dos asteróides – objetos maiores, ou da poeira interestelar – objetos micrométricos ou menores.

Os meteoróides derivam de corpos celestes como cometas e asteróides e podem ter origem em ejeções a de cometas que se encontram em aproximação ao sol, na colisão entre dois asteróides, ou mesmo ser um fragmento de sobra da criação do sistema solar. Ao entrar em contacto com a atmosfera de um planeta, um meteoróide dá origem a um meteoro.

Meteoróides que atingem a superfície da Terra são denominados meteoritos.

O que é estrela cadente?

Estrela cadente é o nome dado a um fenômeno astronômico que acontece frequentemente.

Apesar do nome, não são estrelas, são meteoróides que entram na atmosfera terrestre e sofrem intenso atrito. O aquecimento gerado pelo atrito faz com que os meteoros cheguem a pegar fogo. Com isso ocorre a emissão de luz própria, permitindo que eles possam ser vistos.

O meteoróide tem a tendência de girar em torno do Sol em enxames e a Terra passa através de vários enxames todos os anos. No momento em que a Terra atravessa uma dessas correntes de meteoros, ocorrem as denominadas chuvas de estrelas cadentes. Toda chuva de meteoros parece ter sua origem num ponto particular do céu denominado radiante. Alguns enxames de meteoros estão associados a determinados cometas.

Por que são chamadas de “estrelas cadentes”?

Pelo fato dos meteoróides emitirem luz quando estão atravessando a atmosfera terrestre, assim como as estrelas, já que parecem provir da mesma região do céu dão à impressão de uma chuva de estrelas.

O que é chuva de meteoros?

Chuva de meteoros é um evento em que um grupo de meteoros são observados irradiando de um único ponto no céu (radiante). Esses meteoros são causados pela entrada na atmosfera de detritos a velocidades muito altas. Numa chuva de meteoros, esses detritos geralmente são resultado de interações de um cometa com a Terra, em que material do cometa é desprendido de sua órbita, ou quando a Terra cruza essa órbita.

A órbita da Terra cruza com a órbita de alguns cometas periodicamente, produzindo chuvas de meteoros anuais, como a de Leônidas ou Perseidas. A maior chuva de meteoros ocorrida na história se deu no dia 13 de novembro de 1833. Esta chuva de meteoros pôde ser vista do Canadá até o México.

Principais chuvas de meteorites

Algumas das chuvas de meteoritos anuais mais notáveis:

O que é meteorito?

Um meteorito é a denominação dada quando um meteoróide, formado por fragmentos de asteróides ou cometas ou ainda restos de planetas desintegrados, que podem variar de tamanho desde simples poeira a corpos celestes com quilômetros de diâmetro, alcançam a superfície da Terra, pode ser um aerólito(rochoso), siderito (metálico) ou siderólito (metálico-rochoso).

Composição de um meteorito.

Ao contrário dos meteoros (popularmente chamados de estrelas cadentes), os meteoritos que atingem a superfície da Terra não são consumidos completamente pelo fogo decorrente do atrito da atmosfera. Os mais comuns não contêm misturas de elementos, sendo compostos por côndrulos, podendo também conter partículas de ferro. Os condritos carbonácios podem conter moléculas complexas de hidrocarbonetos. Os meteoróides são corpos no espaço que ainda não atingiram a atmosfera terrestre.

Os meteoritos metálicos são constituídos por ferro (aproximadamente 85%) e níquel (aproximadamente 14%), podendo conter outros elementos em menor proporção. São também designados de sideritos.

Além desses, ainda existem os meteoritos ferro-rochosos, que são uma mistura da liga de ferro-níquel (50%) e outros minerais (50%).

Bom agora que você já sabe um pouco sobre o assunto quando for comentar o que pode ter causado o fim dos dinossauros você dirá que foi o que caiu na superfície da terra de acordo com os cientistas?

Resposta: Impacto de asteróide com a Terra ou Chuva de cometas (não de asteróide)

Fontes:wikipedia

Fonte:sobre a extinção do dinossauro http://pt.wikipedia.org/wiki/Extin%C3%A7%C3%A3o_Cret%C3%A1ceo-Paleogeno

About these ads
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

18 respostas para Qual a diferença entre meteoro e meteorito?

  1. eveny brown disse:

    leegalll!!!

  2. Ana disse:

    Nao me ajudou. Deveria ter mais informaçoes sobre meteoroide e meteorito.

  3. barbara disse:

    q bosta de resposta foi essa eu ainda to cum minha duvida

  4. pepeo disse:

    nossa essa pesquisa vai bombar aqui IUHSIAUHSAUIHSAIUHSIAUHSIUAHSIUAHSIUAHSHASIUHAIUSHIAUHS

  5. galinha disse:

    odiei nao respondeu minha pergunta

  6. IRS disse:

    Olá Lucas, parabéns pelo blog.
    Sou obrigado a discordar com os demais, as diferenças foram muito bem demonstradas, sou astrônomo amador e gostei das respostas. Infelizmente algumas pessoas, por não conseguirem assimilar as informações, colocam mensagens de baixo nível como as publicadas acima.
    Lucas, continue compartilhando informações em seu blog, o Brasil precisa formar um pensamento científico.
    abç

    • Jaci disse:

      Assino embaixo do que o IRS falou, excelente resumo do assunto. Infelizmente o analfabetismo cientifico que assola parte da população presente na Internet faz com que elas tenha dificuldade em assimilar informações contidas em mais de uma frase!

  7. dirceu disse:

    Gostei muito…..
    muito legal….

  8. marry blanco disse:

    eu achei bem interresante sou cientista faço varia esperiençais obrigada por essas informaçoes

  9. Ana Beatriz disse:

    eu adorei esse site gostei muito

  10. Ana Beatriz disse:

    adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii EU DISSE Q TINHA GOSTADO

  11. jhenyff helena disse:

    adorei as informações assim posso ficar mais imformada sobre esse assunto!!!!!!!!!!!!!!

  12. que é amanha dia 26/04/13

  13. aiiiiiiiiiiiiiiiiiii
    como esse assunto é facil de mais……………………………………………………………………………………………………………………………

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s